O Bacalhau e as Batatas

Postado em 31 de dezembro de 2019

Quem me conhece mais de perto sabe que eu não gosto de bacalhau. Nunca gostei. Mas às vezes ha situações sociais que nos colocam em saia justa.
Durante o projeto de consultoria a micro e pequenas indústrias do plástico, no ABC, o coordenador me convidou uma vez para almoçar. Fomos a um clube numa das cidades da região onde, ao chegarmos, ele anunciou satisfeito:
“Trouxe você aqui hoje porque você vai comer o melhor bacalhau do ABC”.

Não sei qual foi o grau de convicção com que agradeci ‘entusiasmado’ a surpresa. Mas meu amigo nem percebeu. Já chegando e cumprimentando o gerente do restaurante que se adiantou para nos receber.
Sentamos e continuamos a conversa sobre as empresas do projeto, que já mantínhamos desde a manhã, enquanto eu pensava como iria lidar com este imprevisto.
Veio a salada, que tratei de degustar avidamente, já que talvez fosse pra mim o prato principal, até que chegou a grande e muito bem servida travessa com a bacalhoada ao forno.
Sem dúvida, um belíssimo prato. Ovos cozidos, tirar finas de pimentão vermelho e amarelo, batatas, rodelas de cebola, azeitonas, uma lindeza de cobertura.
Por baixo, claro, enormes nacos de bacalhau.
Meu amigo logo se serviu com apetite.
Eu tratei de pegar os demais itens que compunham o prato e assim fomos comendo e conversando.
Projeto indo bem, empresas satisfeitas, consultorias apresentando bons resultados, meu amigo devorando bacalhau e eu, pimentões e batatas.
Findo o almoço, cafezinho, pagamos a conta e voltamos felizes pra sede do projeto.
No caminho, a pergunta dele:
“E então, não é uma delícia esse bacalhau?”
Minha resposta:
“Nunca comi um bacalhau tão bom”
Nunca mesmo.